Blog

Espaço para você acessar nossas novidades e notícias relevantes para o setor

blocos de alvenaria residuais

Qual é o sistema construtivo mais barato?

28/07/2020

Olhar apenas para o custo dos materiais é uma das formas mais superficiais de se comparar diversos sistemas construtivos. Saiba quais outros fatores considerar para fazer esta análise.

Quando se discute entre os diversos sistemas construtivos existentes sempre persiste a mesma dúvida: Qual sistemas é o mais barato? Assentar blocos de alvenaria da forma tradicional pode ser um dos primeiros métodos que veem à cabeça, mas será mesmo? Para responder a esta pergunta nós precisamos ir além do custo dos materiais, pois diversos outros fatores também devem ser levados em consideração.

Uso e Escala de Produção são fundamentais para um sistema construtivo mais barato

Pensar no uso destes materiais e na escala de produção do empreendimento é imprescindível para analisar o custo dos sistemas produtivos.

O setor de construção civil possui escala suficiente para implementar processos industrializados, pois é comum a produção de mais de 100 unidades habitacionais idênticas, onde a construção industrializada – fabricada fora do canteiro e montada na obra – pode fazer todo sentido. É importante que a viabilidade financeira seja calculada considerando não somente o custo por metro quadrado de obra cinza, mas sim o custo decorrente de redução de departamento de assistência técnica (uma vez que eventuais patologias ficarão a cargo do fabricante, e não do incorporador), redução da área de qualidade (uma vez que o fabricante deve assumir a qualidade de seus sistemas), redução da área de planejamento e suprimentos (um banheiro pronto retira mais de 200 itens da lista de compras do incorporador), entre outros.

Portanto, para produção em escala e principalmente em um momento de retomada do setor, a construção industrializada é um excelente caminho para que as incorporadoras aumentem sua capacidade de produção sem necessariamente precisar aumentar seus custos indiretos, aumentando inclusive a produtividade de suas equipes de back-office.

Além disso, existem ganhos de produtividade e precisão que podem também melhorar a equação financeira de empreendimentos em tempos de taxas de juros reais nulos. Afinal quem não quer começar a morar ou receber a renda de aluguel de imóvel para investimento em metade do prazo, não é mesmo?

Já no caso de uma única residência, existem diversas soluções no mercado que permitem alto nível de personalização de residências individuais, mesclando os ganhos da industrialização com a personalização que cada residência precisa.

Por fim, a velha e boa alvenaria ainda pode ser economicamente viável para empreendimentos onde os aspectos acima não façam sentido.

Nosso tempo importa

O tempo de construção é um fator fundamental para compor o orçamento de qualquer projeto. Trata-se de um recurso precioso e que deve ser gerenciado de forma correta para evitar prejuízos e problemas ao decorrer da obra.

Em uma construção temporária, por exemplo, o tempo e facilidade de montagem são fatores fundamentais, trazendo precisão e velocidade para a construção. Dessa forma, assentar blocos de alvenaria pode não ser muito viável, sendo preferíveis estruturas metálicas que podem ser parafusadas e desparafusadas.

Disponibilidade, Durabilidade e ciclo de vida dos materiais também entram na conta

Na escolha de um sistema construtivo, é necessário avaliar a disponibilidade de seus materiais no local de construção, se for necessário transportar estas peças por uma longa distância, a construção pode acabar se tornando mais cara e menos sustentável.

Quanto à durabilidade, esta pode ser comparada à compra de um carro, da mesma forma que se pensa em sua manutenção e em outros gastos ao longo de sua vida útil, também é necessário pensar na durabilidade e na manutenção de um edifício. Assim, para se ter economia é preciso pensar também a longo prazo e pensar nos futuros gastos com reformas, pinturas e remediação de patologias prediais que possam surgir.

Substituir um painel pré-moldado não estrutural de revestimento de fachada pode ser mais simples do que lidar com infiltrações em uma parede de alvenaria tradicional. Estes painéis pré-moldados podem muitas vezes ser retornados ao fabricante, onde são reciclados e retornam à sua cadeia produtiva dentro de um processo de logística reversa. 

Desempenho térmico e lumínico são a chave para economizar energia em uma edificação

Um edifício com pele de vidro em um local de clima quente pode demandar um alto gasto energético para trazer conforto aos seus usuários. Afinal, ignorar o desempenho térmico de um material para seu clima pode acarretar altos custos durante a vida útil deste edifício, gerando também desconforto e queda de produtividade para os seus usuários.

Quanto ao conforto lumínico, é preciso pensar tanto no projeto como nos materiais empregados. Confira algumas medidas para melhorar o desempenho de iluminação natural do seu projeto.

Portanto, Simulações computacionais são fundamentais para se ter um melhor desempenho energético de uma edificação, integrando tanto o desempenho térmico de uma edificação com o desempenho acústico e lumínico. Com um bom desempenho energético, o custo dos materiais de construção podem ser diluídos em economias de energia.

Cuidado com sistemas construtivos milagrosos

Ao analisar qualquer sistema construtivo é fundamental olhar por todos estes aspectos, resumidamente:

Portanto, é preciso olhar com muita cautela para materiais novos e que prometem muita economia, pois um aspecto que pode gerar economia para um dado projeto pode não ser econômico para outro projeto, dependendo principalmente de seu contexto, uso e escala.

Um bom planejamento é fundamental para diminuir gastos em qualquer sistema construtivo

Uma forma de se ter economia, independente do sistema construtivo empregado, é investir em um bom projeto, uma boa coordenação e gestão. Quanto melhor o planejamento de um projeto, mais preparado se está para evitar problemas em obra. Por fim, uma boa consultoria pode auxiliar tanto na escolha do sistema construtivo como na coordenação e gestão de um projeto, abrangendo diversos processos inerentes e particulares de cada projeto.

Quer saber mais?