Na Mídia

A Inovatech na imprensa

Inverno quente e seco: o que fazer para economizar água nos condomínios

20/08/2015

Em artigo no jornal O Estado de São Paulo, diretor da Inovatech dá dicas de como driblar o período de escassez hídrica em piscinas, áreas verdes e na lavagem de veículos:

“O inverno de 2015 está marcado pelas elevadas temperaturas, com temperatura máxima média no mês de julho de 29,3 graus, muito acima da média de 21,8 graus para o período. Entretanto, as elevadas temperaturas não trouxeram aumento das chuvas, e no mês de julho a chuva acumulada no sistema Cantareira ficou aproximadamente 12% abaixo da média histórica de 50mm.

Em termos de nível médio dos reservatórios de água, a cidade de São Paulo, por exemplo, apresenta cenários cada vez mais desoladores, e desconsiderando o volume morto, o nível do sistema Cantareira caiu de 53,1% em 2013 para -10% em 2.015, ou seja, estamos num momento no qual se faz necessária uma mudança definitiva no modo de vida de quem habita a região.

O panorama de altas temperaturas, aliado a baixos índices de chuvas e umidade relativa do ar, aumenta os desafios para realizar a gestão da água das áreas comuns de condomínios. As piscinas, até então utilizadas predominantemente no verão, passam a ser utilizadas com mais frequência no inverno, gerando aumento no gasto de água dos condomínios.

A falta de chuvas e o clima seco favorecem muito as perdas por evaporação das piscinas. Para se ter ideia, uma piscina de 10 metros de comprimento por 6 metros de largura pode perder 3.000 litros de água por semana somente em razão da evaporação.

Nos dias mais quentes e secos, é recomendável desligar as cascatas e SPAs, pois quanto maior a agitação, maiores as perdas por evaporação. Outra solução importante é cobrir a piscina com capa flutuante, pois além de reduzir a evaporação em até 90%, ajuda a manter a piscina mais limpa, reduzindo a frequência de limpeza e o gasto com água. (…)”

Para ler o texto na íntegra, clique aqui.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil