Na Mídia

A Inovatech na imprensa

Brasil Econômico: Prédios comerciais alavancam construção sustentável no país

20/10/2014

Luiz Henrique Ferreira é entrevistado em reportagem sobre o avanço de projetos com menor custo operacional e o crescimento dos edifícios com selos de sustentabilidade. Segundo a matéria, o número de edifícios chancelados por certificações de greenbuilding aumentou de 20 para 500 nos últimos cinco anos.

“Duas certificações contemplam o mercado brasileiro: a americana Leadership in Energy and Environmental Design (LEED) e a francesa batizada em português de Alta Qualidade Ambiental (AQUA-HQE). Juntos, os selos contemplam os quase 500 edifícios chancelados.

De acordo com o consultor de sustentabilidade Luiz Henrique Ferreira, o selo LEED, que atesta a redução do consumo de energia e água em cerca de 30%, se tornou padrão entre as construções corporativas por assegurar maior retorno financeiro aos investidores. “Este certificado, por ser conhecido em todo o mundo, traz segurança para o investidor, pois chancela a concepção de edifícios que oferecem menores custos de operação e maiores taxas de ocupação. A economia de despesas com água e luz reflete na redução do valor do condomínio, o que se traduz em aumento do preço do aluguel e, consequentemente, maior retorno para o investidor”, explicou. A taxa de ocupação de empreendimentos comerciais sustentáveis pode ser até 23% maior em relação aos tradicionais, enquanto o valor da locação é, em média, 8% mais alto, de acordo com informações do Secovi-SP.”

Enquanto o Leed ganha espaço entre os empreendimentos corporativos, o selo batizado de Alta Qualidade Ambiental (Aqua-HQE), versão adaptada da certificação francesa Démeche HQE, é utilizado largamente para certificar projetos residenciais. Dos 305 edifícios certificados pela Fundação Vanzolini, responsável pela administração do selo no país, 150 são residenciais. Entretanto, a maioria dos projetos ainda está em fase de execução. Ou seja, apenas cinco prédios já estão em operação, sendo testados pelo consumidor final.

Para o consultor Ferreira, a qualidade das construções melhora gradativamente à medida que as construtoras estão cada vez ganhando mais experiência em viabilizar projetos. “O desafio é mostrar para o consumidor final as vantagens de morar em um imóvel sustentável”, afirmou.

Acesse a matéria na íntegra em http://brasileconomico.ig.com.br/negocios/2014-10-20/predios-comerciais-alavancam-construcoes-sustentaveis-no-brasil.html