Blog

Espaço para você acessar nossas novidades e notícias relevantes para o setor

Atualização de acústica - Norma de Desempenho

Emenda publicada – Confira as mudanças de acústica a Norma de Desempenho NBR 15575 para o desempenho acústico

17/09/2021

No dia 14/09/2021 a Emenda de acústica para a Norma de Desempenho, NBR 15575, foi publicada. Essa emenda é obrigatória para empreendimentos residenciais em todo o Brasil. Confira suas principais mudanças e como isso impacta os projetos.  

A emenda de Desempenho Térmico está publicada e entrará em vigor no dia 26/09/2021, confira nosso artigo sobre as atualizações dessa Emenda

Por que uma nova emenda?

Apesar desta atualização da norma não trazer mudanças radicais quanto aos requisitos já existentes, ela traz uma atualização do texto. O que deixa sua interpretação muito mais clara e esclarecendo pontos que antes eram ambíguos. Além disso, ela formaliza alguns métodos de avaliação que, até então, não estavam incluídos na norma.

Quando a Emenda de acústica entra em vigor?

A Emenda de acústica entra em vigor 180 dias após a sua publicação. Ou seja, para edifícios residenciais protocolados a partir do dia 13 de março de 2022.

Principais mudanças

I) Novo método para caracterização acústica do entorno

A nova emenda traz e formaliza o procedimento para a determinação das Classes de Ruído de empreendimentos. Até então, a classificação baseava-se na Tabela 17 da NBR 15.575-4, que abria brechas para interpretações subjetivas devido à não utilização de parâmetros mensuráveis e qualitativos.

A partir da nova revisão, formaliza-se a utilização de medições in loco no entorno da edificação e o uso de simulações computacionais para se obter o nível de pressão sonora incidente nas fachadas e, assim, a Classe de Ruído delas conforme classificação.

II) Novos requisitos de desempenho

São apresentados novos requisitos (obrigatórios e não obrigatórios) de desempenho acústico, além de uma atualização de requisitos já existentes para uma melhor interpretação. Entre eles:

  1. Isolamento de ruído de impacto entre Salas de unidades autônomas
  2. Alteração do requisito de sistemas de piso de áreas de uso coletivo acima de unidades habitacionais autônomas – A nova emenda traz uma separação desse requisito, fazendo uma distinção entre salas e dormitórios
  3. Alteração do requisito de conjunto de paredes e portas de unidades separadas pelo hall – A emenda traz uma separação desse requisito, tornando-o mais restritivo quando há dormitórios envolvidos. Essa nova alteração torna-se bastante relevante quando se trata de unidades tipo Studio, mais restritiva em casos de ambientes multiuso.

III) Atualização da redação

A nova emenda traz uma atualização de normas referenciadas (normas de métodos de ensaio em campo, simulações computacionais, etc.) que até então estavam ultrapassadas, além de diversas correções de redação e termos técnicos. Isso esclarece quais ambientes devem ser avaliados por requisito, sendo que antes possibilitavam uma interpretação ambígua.

IV) Valores de referência

A versão anterior da NBR 15.575-4 disponibilizava valores de referências de Rw (Índice de Redução Sonora) para vedações verticais internas. Essa informação é utilizada para verificar se uma certa tipologia de parede (com um Rw já conhecido) consegue atender ao nível de desempenho desejado. Além disso, a nova emenda também traz também valores para fachadas, atualizados e separados em Sistemas Pesados e Sistemas Leves.

Vale ressaltar que o isolamento entre ambientes não depende exclusivamente do Rw da parede. Ou seja, apenas o atendimento aos valores contidos na tabela de referência nem sempre são suficientes para se atender ao desempenho acústico desejado.

V) Métodos para estimativas de isolamento acústico

Por fim, a nova emenda dá mais destaque à outras normas, como a ISO 12354 (Building acoustics — Estimation of acoustic performance of buildings from the performance of elements). A partir disso, espera-se que esta norma se torne mais utilizada por consultores, melhorando, em termos gerais, a assertividade de previsões de desempenho.

Eng. Civil Nicolas Park

Consultor de Desempenho Acústico
na Inovatech Engenharia

Imagem: Ricardo Gomez Angel – Unsplash