“Platina 220”, da Porte, recebe selo AQUA-HQE na fase Projeto

Com consultoria da Inovatech, empreendimento de uso misto em construção na Região Leste de São Paulo conta com diversas soluções sustentáveis e vai integrar o chamado “Eixo Platina”, novo polo local de desenvolvimento socioeconômico e urbanístico


Corporativo

Certificações

Indicadores de sustentabilidade

Porte Platina 220: novo polo de desenvolvimento da região Leste

O empreendimento Platina 220, da Porte Engenharia e Urbanismo, conquistou o selo AQUA-HQE na fase Projeto para as 22 lajes corporativas, no fim de setembro (2019), com apoio da Inovatech, consultoria responsável por acompanhar todo o processo de certificação junto à construtora.

O edifício está em obras desde setembro de 2018 e tem previsão de entrega em meados de 2021. Ele contará com uma única torre, somando mais de 57 mil m² de área construída, em um terreno de cerca de 6.400 m². Assinado pelo escritório Königsberger Vannucchi Arquitetos Associados, o Platina 220 será o edifício mais alto da região, com 50 pavimentos de uso misto, com lojas no térreo, hotel e unidades residenciais (na parte mais baixa do edifício), conjuntos comerciais (na parte intermediária) e lajes corporativas (na parte mais alta do prédio).

“Vejo no Platina 220 um empreendimento que busca não apenas projetar e construir de modo sustentável, mas disponibilizar serviços e oportunidades de trabalho à população, em uma região de São Paulo onde historicamente há esse tipo de carência”, diz Guilherme Loos, sócio e responsável pela área de Certificações e Ecoeficiência da Inovatech Engenharia, e consultor no processo de certificação AQUA-HQE do empreendimento.

Fachada do Porte Platina 220: uso misto e destaque na região

Na auditoria realizada pela Fundação Vanzolini, o empreendimento venceu a etapa Projeto sem desvios ou pendências e com cinco pontos fortes:

1- Projeto dentro do Eixo Platina

Serão 22 pavimentos destinados a empresas interessadas em se instalar na região, além de outros para salas comerciais. O Platina 220 integra o chamado “Eixo Platina”, que reúne seis empreendimentos da Porte projetados para a Rua Platina, paralela à Radial Leste, entre as estações do metrô Belém, Tatuapé e Carrão.

2- Polo urbanístico de integração no contexto urbano do bairro

O Platina 220 é parte de um grande projeto da Porte, que espera transformar esse trecho da cidade em uma espécie de “Nova Paulista da Região Leste”. A ideia central é interromper o êxodo de pessoas que moram no bairro e trabalham no centro da capital, levando novos empregos, comércios e serviços para a região.

Estima-se que mais de 20 mil postos de trabalho possam ser gerados com a integração dos empreendimentos planejados para o Eixo Platina.

3- Fachadas ativas, com integração do entorno

O conceito de fachadas ativas é parte do novo Plano Diretor de São Paulo. Ele prevê o uso não residencial de parte da testada horizontal de um empreendimento. O Platina 220 terá espaço para 19 lojas no térreo, com acesso livre à população. Além disso, contará com calçada de piso drenante, para evitar alagamento durante as chuvas. Haverá ainda um projeto de luminotécnica com postes de iluminação mais baixos, para aumentar a segurança dos pedestres.

4- Paisagismo em todo o entorno do empreendimento

Todas as calçadas do Platina 220 terão paisagismo. Isso significa que a região ganhará um quarteirão inteiramente concebido para atrair e oferecer mais conforto e bem-estar a moradores, trabalhadores e visitantes.

5- Aproveitamento da água do dreno do ar-condicionado

Cerca de 150 mil litros de água coletadas anualmente do sistema de ar-condicionado serão reutilizados na irrigação dos jardins. Além disso, haverá ainda a captação e aproveitamento de água da chuva (750 mil litros/ano) para irrigação do paisagismo. No total, haverá uma economia de 900 mil litros de água.

Conheça outro projeto já realizado em parceria com a Porte na região do Tatuapé:

Residencial Helen


< Voltar para CASES