Edifício Eólis

Parceria com a Inovatech garantiu à Auxiliadora Predial o primeiro AQUA da região Sul, para a fase de uso e operação de prédio corporativo em Porto Alegre


Corporativo

Certificações

Redução de impactos ambientais

Parceria com a Inovatech garantiu à Auxiliadora Predial o primeiro AQUA da região Sul, para a fase de uso e operação de prédio corporativo em Porto Alegre. O edifício Eólis, prédio corporativo da Auxiliadora Predial, foi projetado e construído a partir de premissas sustentáveis, embora o projeto e a construção não tenham sido certificados.

Além do gerador eólico, colocado no topo do prédio e responsável pela cogeração da energia elétrica utilizada nas áreas comuns, o empreendimento de 5.770 m² de área construída conta com um telhado verde e um sistema de coleta e reaproveitamento de águas pluviais.

Faltava, no entanto, mensurar o desempenho dessas soluções, para checar e avaliar a sustentabilidade na operação do prédio. A partir dessa demanda, a Inovatech Engenharia auxiliou os empreendedores na estruturação e implantação do sistema de gestão da operação do edifício, seguindo as premissas da certificação AQUA-HQE.

O comprometimento do cliente desde as fases iniciais do projeto possibilitou um nível de desempenho do edifício que viabilizou a certificação do empreendimento na fase Programa da Operação, pelo Processo AQUA, da Fundação Vanzolini, em 2012, após seis meses de trabalho de planejamento e estruturação de processos focados em sustentabilidade.

A partir daí, iniciamos o período de implantação dos processos planejados e de acompanhamento dos indicadores de desempenho do edifício. Após 24 meses de operação assistida, o edifício obteve o certificado AQUA da fase Uso e Operação.

Como principais resultados observados, destacam-se a adoção de práticas ambientais, que contribuíram para a redução de consumos, melhoria no gerenciamento de resíduos e conscientização dos usuários. Outro ganho obtido pelo edifício através da certificação foi o início do controle e análise dos indicadores de desempenho, que possibilitam identificar pontos a serem melhorados, além de contribuírem para a realização de novos planos de ação que visam a melhoria contínua do desempenho ambiental do edifício.

Para Luiz Henrique Ferreira, diretor da Inovatech Engenharia, o envolvimento dos usuários é vital para esse tipo de trabalho. “A redução do impacto ambiental depende das pessoas. Afinal, é o uso do edifício, ao longo dos anos, que pode gerar menor impacto ambiental. Nesse sentido, o Eólis representa um exemplo”.


< Voltar para CASES