Blog

Espaço para você acessar nossas novidades e notícias relevantes para o setor

Produtividade na construção: homem com tablet na mão controlando rede de informações

Produtividade na construção: 4 pontos com alto potencial de transformação

10/12/2019

Nesse caminho tão necessário e irreversível, sai na frente quem souber aproveitar as oportunidades e tecnologias já disponíveis no mercado. Não é preciso reinventar a roda, mas fazê-la girar reduzindo desperdícios, aumentando o conforto e com a maior eficiência possível

 

Por Luiz Henrique Ferreira

Por que investir em produtividade? Porque aumentar a produtividade significa reduzir desperdícios. E, hoje, o que percebemos é que existe uma grande dificuldade em medir os desperdícios, sejam eles de materiais, de tempo ou de recursos. Nesse sentido, listei 4 pontos com alto potencial de transformação e que devem ser observados por toda empresa em busca de mais produtividade:

1- Canteiro sustentável

Há hoje uma invasão no mercado de startups dispostas a medir o que acontece no canteiro de obras. Ao meu ver, o canteiro possui uma quantidade infinita de dados, que podem ser medidos, compilados, tratados. Com isso, é possível gerar ganhos muito grandes de produtividade. Vale a pena investir nisso.

2- Desenvolvimento de projetos

Tal como o canteiro de obras, o desenvolvimento de projetos também gera uma quantidade enorme de dados. Porém, eles ainda são desprezados pela maior parte do mercado. Isso quer dizer que há um potencial grande nessa área para gerar mais produtividade.

3- Desfragmentar o mercado

O mercado é hoje totalmente fragmentado. Cada disciplina faz uma coisa. Com isso, chegamos a ter 30 ou 40 empresas contratadas para conduzir um projeto. Isso tende a gerar um caos gerencial, que empurra prazos pra frente e gera uma quantidade gigante de reuniões inúteis, que não levam a lugar nenhum e, pior, que custam caro. É claro que é importante que as pessoas conversem, mas isso deve acontecer sempre com foco em produtividade.

4- BIM para gestão da informação

Hoje o mercado precisa focar no BIM como ferramenta de gestão da informação, e não como modelagem geométrica. É nisso que acreditamos e em que estamos trabalhando para aumentar a produtividade do setor. Este é um dos pontos com alto potencial de transformação em termos de produtividade.

A Casa24h é um exemplo de aplicação desses 4 pontos que abordei aqui. Estamos a poucos meses da segunda edição da Casa24h na FEICON Batimat e o que queremos é poder mostrar tudo isso ao público de maneira cada vez mais efetiva.

E você, gostaria de conversar mais sobre isso?