Blog

Espaço para você acessar nossas novidades e notícias relevantes para o setor

Hospital em Wuhan: lições da China para a construção no Brasil

14/02/2020

Mil leitos em apenas dez dias. O que podemos aprender com o feito do gigante asiático e como isso pode ajudar o setor a se reerguer e conquistar mais produtividade

 

Assim que o governo chinês anunciou que iria construir, em apenas seis dias, um hospital na cidade de Wuhan, centro da epidemia do novo coronavírus, houve um espanto internacional. Como fazer isso em tão pouco tempo? Dias depois, as autoridades estenderam o prazo para dez dias, ainda assim um cronograma incrível.

Muitas pessoas acompanharam a obra em tempo real, pela internet ou assistiram ao vídeo em timelapse mostrando a evolução da construção. E foi realmente espantoso ver como 4.000 trabalhadores e 100 tratores se revezavam em três turnos de trabalho, para construir uma edificação de 25 mil m², em um canteiro de obras sem pausas.

Engenharia a serviço da sociedade

Deixando um pouco de lado a questão da urgência de saúde pública, vamos pensar em termos de engenharia: o que nós, brasileiros, podemos tirar de lição dessa história? Como é possível construir tão rápido?

Quem acompanhou um pouco a história sabe que erguer o hospital somente foi possível graças aos módulos pré-fabricados. Uma construção artesanal, digamos assim, que ainda é a cara da realidade brasileira, jamais conseguiria atingir esse feito.

Tivemos nossa experiência com a Casa24h na Feicon Batimat 2019, que foi justamente um desafio criado para mostrar que é possível fazer diferente. Temos tecnologia para isso, temos materiais e soluções à altura. Mas precisamos quebrar alguns paradigmas, é claro.

Produtividade reduz custos e prazos

É fundamental qualificar todas as pontas do ciclo de produção da construção: da equipe de projeto aos fornecedores, da coordenação executiva ao trabalhador ainda com baixa escolaridade. E, por fim, fazer esse conjunto heterogêneo de processos, pessoas e tecnologia funcionar, e em harmonia.

Simples? Nem um pouco, sabemos. Mas precisamos ter isso em mira. Ou não avançaremos. Produtividade não é mais uma escolha das empresas. É uma questão de redução de custos e prazos, por exemplo.

Estudos da McKinsey mostram que empresas que investem pesado em produtividade de projetos reduzem custos em 7,9% e prazos em 5,6% em média. Em outras palavras, vale a pena o esforço de sair da inércia.

Voltando à questão do hospital chinês, como construir tão rápido, então? Listamos alguns pontos essenciais para todos que estão em busca de mais produtividade:

1- Obras mais rápidas dependem de bons projetos

Projeto e obra são uma coisa só, não devem ser dissociados. O projeto precisa olhar para a obra o tempo todo. E a obra, por sua vez, precisa retroalimentar o projeto. É justamente essa interação que reduz prazos pela metade ou ainda mais.

Além disso, prazos menores geram mais segurança de regulamentação e também para o investidor e para o comprador na ponta final. Quem já comprou imóvel na planta sabe do frio na barriga quando os prazos começam a ser repetidas vezes estendidos.

2- Incorporar tecnologia é fundamental

Mais uma vez, cabe ressaltar o potencial da metodologia BIM nos projetos, indo muito além da modelagem geométrica em 3D. O BIM usado como ferramenta de gestão da informação pode, de fato, transformar a maneira de atuar do mercado da construção no país. E isso tem tudo a ver com a produtividade do setor.

3- Restrições de infraestrutura devem ser mapeadas

Não adianta um projeto ousado se não houver infraestrutura adequada e mapeada de antemão. No hospital de Wuhan, por exemplo, um dos pontos críticos era a falta de caminhões para transportar os elementos pré-moldados.

Situações desse tipo precisam ser levantadas antes do início da obra, para que não surjam “surpresas” no caminho. Se a obra precisa de 5 guindastes, mas só existem 2 disponíveis na região, isso certamente será um problema…

4- Construção off-site

Aumentar a produtividade do setor passa, necessariamente, por reduzir o percentual artesanal nas obras. Cada vez mais, as construções secas, industrializadas, off-site, serão aliadas dos empreendedores em busca de custos e prazos menores.

No hospital em Wuhan, as peças chegavam das indústrias já prontas para serem montadas, módulo a módulo. Temos algumas experiências do tipo aqui no Brasil e a tendência é que esse tipo de sistema construtivo ganhe mais e mais espaço.

5- Gerenciamento da obra

Nem o melhor projeto do mundo pode ser executado no prazo pré-estabelecido (e mais curto do que a média do mercado) sem que haja um impecável gerenciamento da obra. Sem dúvida alguma, isso foi crucial no cumprimento do prazo de 10 dias em Wuhan.

Por aqui, os desafios passam por desfragmentar o mercado, usar tecnologia BIM e conseguir, de fato, uma comunicação extremamente eficiente entre as equipes.

Imagine só: na China, enquanto dezenas de tratores nivelavam o solo para receber os módulos pré-fabricados, já haviam operários entrando nos primeiros módulos para preparar a rede elétrica. Uma orquestra e tanto. E uma lição e tanto.

Quer saber como podemos ajudar sua empresa a aumentar a produtividade? Entre em contato com a gente!