Blog

Espaço para você acessar nossas novidades e notícias relevantes para o setor

Green BIM e o lugar da sustentabilidade nos projetos em BIM (imagem mostra construção ao fundo com um gráfico de elementos conectados em rede

Green BIM: o lugar da sustentabilidade nos projetos em BIM

12/02/2020

Empreendimentos mais eficientes, confortáveis e com menor impacto ambiental são consequência natural da aplicação da metodologia BIM

 

Depois do “Green Building”, chegou a vez do “Green BIM”. É que quando olhamos para além da modelagem 3D, notamos que a ferramenta BIM traz um enorme potencial para se obter vantagens em termos de sustentabilidade em um projeto.

Assim, ainda que ser mais “verde” não esteja no centro dos objetivos de um empreendedor, ele aumentará seu nível de sustentabilidade ao implantar a metodologia BIM no projeto, sem nenhuma dúvida.

É como uma consequência natural, já que o BIM carrega em si a capacidade de lidar muito bem com a complexidade cada vez maior das construções. Se pensarmos nas últimas décadas, por exemplo, veremos que hoje os edifícios acumulam muito mais sistemas inter-relacionados e integrados.

Mais complexidade pede melhor gerenciamento

Atualmente, o volume de novas camadas agregadas aos projetos explodiu: telecomunicações, novas normas técnicas, itens de sustentabilidade, acessibilidade, segurança, climatização, eficiência energética, acústica, melhorias no envelopamento dos prédios, pavimentos subterrâneos e muitas outras.

O conceito de sustentabilidade prevê que se possa ter um olhar mais holístico sobre o projeto, uma visão geral que permita tomar conta de tudo, de maneira eficiente. Mas, com tanta complexidade, os desafios têm sido cada vez maiores.

É aí que entra o santo BIM ou, no caso, Green BIM. Ele ajuda a gerenciar essa avalanche de dados, melhora a comunicação entre toda a equipe e torna mais rápido, fácil e seguro (falando em interferências) fazer mudanças no projeto. A cada mudança, uma espécie de efeito dominó toma conta de todo o projeto. Dessa maneira, em questão de segundos, todas as camadas são realinhadas e compatibilizadas, e o projeto avança, segue em frente.

BIM e sustentabilidade dão um bom casamento

Já faz tempo que falamos sobre as conexões entre produtividade, eficiência, sustentabilidade e desempenho financeiro dos negócios. E, acredite, quando o assunto é BIM, essas interações ganham ainda mais sentido:

1- Mais produtividade e eficiência

Ambas resultam em redução de desperdícios, uma meta importante em todo projeto que se pretende mais sustentável, certo? Ao longo da criação do modelo BIM, antes do início da obra, é possível atingir maior precisão nos quantitativos.

Isso significa economia de materiais, otimização de processos, mais qualidade e, no fim das contas, uma considerável queda na geração de resíduos (outro aspecto caro a qualquer edifício que esteja em busca de um maior nível de sustentabilidade).

2- Desempenho térmico, acústico e lumínico

Quando o assunto é conforto ambiental e Norma de Desempenho, a metodologia BIM é excelente aliada. Ao rodar para garantir o atendimento à NBR 15575, a ferramenta BIM lança olhares mais atentos sobre as três disciplinas. Resultado: construções mais eficientes e também mais confortáveis para os usuários finais.

3- Consumo de água e energia

Com um maior detalhamento do projeto, é possível calcular o volume de água que uma construção irá consumir ao longo da obra. Assim, fica mais fácil, por exemplo, criar estratégias de reutilização de águas e redução do consumo.

Além disso, é mais fácil gerenciar tecnologias economizadoras de água e energia no uso e operação do edifício.

4- Menos retrabalho

Com uma gestão da informação modelada em BIM, a construção sofre menos interferências durante a obra, já que tudo foi compatibilizado ainda no projeto. Resultado: menos custos com atrasos no cronograma, correções de rota e idas e vindas de projetos fragmentados. É ou não é mais sustentabilidade incorporada no projeto?

Quer saber mais sobre o Green BIM? Entre em contato com a gente!